PNL: o que é e como pode ser aplicada ao coaching

A Programação Neurolinguística (PNL) foi desenvolvida nos Estados Unidos pelo matemático Richard Bandler e pelo linguista John Grinder. Para isso, eles fizeram alguns estudos com a intenção de desvendar os mecanismos do funcionamento da mente de pessoas de sucesso.

Foram descobertos, então, vários fatores que podem ajudar qualquer pessoa a mudar a sua jornada com o uso de técnicas de programação cerebral.

É sobre essas técnicas, suas vantagens e aplicação nos processos de coaching que você aprenderá mais neste texto.

programacao-neuro-linguistica

 

O que é a PNL?

Podemos decompor a Programação Neurolinguística para entender o que esse termo nos diz.

A palavra Programação é bastante usada na computação e significa uma série de ações coordenadas para um determinado resultado.

Neuro se refere ao sistema neurológico, ou seja, sobre o que acontece no cérebro e nos impulsos nervosos.

Já o termo Linguística é relativo ao conjunto de fatores inerentes à linguagem verbal e não verbal, a qual serve para codificar ideias, informações e sentimentos para um receptor.

Agora, compondo o termo, PNL significa aplicação de técnicas baseadas em ações com o uso da linguagem certa para estimular o funcionamento do cérebro a agir de forma a alcançar um objetivo específico com sucesso.

Os métodos usados na PNL foram criados com base na observação do comportamento de pessoas bem-sucedidas em seus propósitos, em diversas áreas de atuação. Os estudiosos concluíram que se alguém é capaz de realizar alguma coisa, qualquer um que copiar o seu modelo de ação poderá repetir o feito.

Como usar a PNL em um processo de coaching?

A Programação Neurolinguística é um conjunto de técnicas aplicadas na psicologia, na saúde, na educação, nos esportes e, claro, combina muito bem com um processo de coaching.

Não importa o estado desejado do coachee, a PNL pode ser aplicada em qualquer caso em que seja necessário mudar ou otimizar atitudes e comportamentos, como travamentos, fobias, timidez, falta de foco, dentre outros.

A aplicação das técnicas de PNL durantes as sessões com os coachees pode trazer uma série de benefícios para a evolução no processo de coaching, como, por exemplo:

Sistemas representacionais na PNL

A Programação Neurolinguística é baseada nos chamados sistemas representacionais – visual, auditivo e cinestésico -que determinam o estilo de comunicação de cada indivíduo. Ou seja, cada pessoas possui um canal de comunicação predominante relacionado a um desses 3 sentidos.

A grande maioria das pessoas não tem consciência de que vê o mundo através de um sistema preferencial e se comunica com base nele. Do mesmo modo, o interlocutor também não percebe que as palavras usadas pelo outro são uma referência ao seu sentido mais aguçado.

Os sistemas representacionais são importantes para a PNL porque permitem avaliar qual é o canal de comunicação mais adequado para que alguém absorva melhor as informações e para que haja maior conexão e rapport nas relações.

Um indivíduo que tem o seu sistema visual predominante dará mais atenção a uma explicação com palavras que remetem às sensações visuais e aprenderá com maior facilidade caso sejam apresentados elementos como desenhos e gráficos.

Quem é mais auditivo compreenderá melhor apenas ouvindo do que lendo ou assistindo alguém explicando sobre algum assunto. Pessoas com o canal de comunicação auditivo mais desenvolvido gostam muito de ouvir músicas e histórias.

Uma pessoa cinestésica precisa sentir o clima do ambiente e perceber os sentimentos que as pessoas transmitem. Também gostam de palavras que transmitem a ideia de experiências e movimento.

Para identificar o sistema representacional predominante de cada pessoa, podemos observar as palavras mais utilizadas durante um diálogo. Abaixo você verá alguns exemplos cada cada tipo.

Visual: vejo, olho, visualizo, ilustrado, cores, imagens, olhar, visão, mostrar, enxergar.

Auditivo: escuta, conversa, sons, sonoro, ressoar, afinado, chamado, ouvindo, música.

Cinestésico: sinto, toco, percebo, pego, agarro, ando, passo, saio, acelero.

Quais são melhores técnicas de PNL para o coaching?

Algumas aplicações da PNL são de uso frequente pelos coaches e apresentam excelentes resultados. Você vai conhecer quais são elas abaixo.

Ressignificação

É uma excelente maneira de acabar com as famosas crenças limitantes que todas as pessoas têm em algum momento da vida. Essa técnica consiste em alterar os significados dos sentimentos, de acontecimentos e da imagem mental que cada um faz sobre determinada coisa.

É importante que o coach faça perguntas direcionando o seu coachee a ressignificar de forma coerente e que ele acredite no novo significado.

Rapport

Essa palavra significa “relação”, ou seja, é uma forma de criar um elo. Mas o rapport não é apenas uma ligação e sim uma conexão de alta intensidade. Para se construir um bom rapport é necessário se conectar com o coachee de forma a entrar na mesma sintonia e ritmo dele.

Pode-se fazer alguns movimentos como, por exemplo, mexer com as mãos da mesma forma que ele, em alguns momentos e discretamente. Isso fará com que ele sinta reciprocidade e perceba um grande entrosamento. Assim, o coachee ficará mais próximo e confiante no seu coach.

Modelagem

Ela é muito efetiva nos casos de pessoas que precisam mudar o comportamento. A modelagem é a imitação de gestos e trejeitos de pessoas que são referência de sucesso para o coachee. Não é necessário imitar completamente, apenas alguns elementos que ajudarão na atitude necessária para atingir o estado desejado do cliente.

Leia também:  Ferramentas de coaching para gestão de pessoas

Ancoragem

Uma âncora é um estímulo produzido por meios físicos, próprios ou com a ajuda de algum objeto, que tem por objetivo despertar um estado interno. Ou seja, é um ato que traz uma reação específica para esse ato.

Nós respondemos a vários tipos de âncoras o tempo todo. Por exemplo, quando uma pessoa ouve alguém especial fazer o seu celular tocar, a reação de alegria surge imediatamente. Isso é uma âncora positiva.

A ancoragem consiste, então, em criar um estímulo, como um estalo de dedos ou uma batida de pés, que desencadeará uma reação positiva específica e imediata para o gesto escolhido.

É preciso ter um objetivo bem definido, como, por exemplo, a intenção de estimular calma em um momento angustiante e conseguir invocar um estado positivo por meio de uma lembrança ou de uma imaginação. Depois, é preciso escolher a âncora e treinar para que ela consiga estimular o estado positivo que se deseja, repetindo o gesto de ancoragem diversas vezes até que o cérebro entenda que o estímulo deve gerar uma emoção.

Por exemplo, determinar que toda vez que a pessoa apertar o dedão direito vai lembrar do dia que foi aplaudida pelos colegas e isso trará a sensação de segurança de que precisa para encarar situações em que precisa estar calma e confiante.

Swish

A técnica de PNL chamada Swish permite reverter rapidamente os sentimentos relacionados a experiências negativas, traumas ou qualquer outra situação inconveniente.

O objetivo do Swish é substituir pensamentos negativos por outros que sejam positivos, neutros ou que sejam mais adequados à sensação que a pessoa deve sentir no momento.

Esse método é interessante porque amplia as habilidades do indivíduo de desenvolver o seu controle emocional e moldar suas reações e comportamentos diante de momentos estressantes ou angustiantes.

Para aplicar a técnica do Swish é preciso seguir as 5 etapas descritas logo abaixo.

1 – Escolher uma imagem para substituição

Aqui é preciso pensar em uma imagem que transmita uma sensação agradável para seja colocada no lugar do sentimento ruim sempre que ele surgir. É necessário deixar essa imagem bem clara na mente, pensando nos seus detalhes e características.

2 – Identificar o gatilho que gera o sentimento negativo

Essa etapa é o momento de pensar como o indivíduo se sente pouco antes de começar a entrar em um humor indesejado.

Quais imagens vêm a mente? Como essa sensação ruim começa a surgir? Esses são exemplos de perguntas que se pode fazer para identificar qual é o gatilho que dispara os maus pensamentos.

O ideal é escolher uma imagem que represente o sentimento negativo que se quer combater, para que a próxima etapa seja realizada com sucesso.

3 – Colocar a imagem de substituição no canto

Nessa fase da técnica é necessário apenas imaginar a imagem de substituição escolhida no primeiro passo da aplicação como se fosse um selo de carta e colocá-la mentalmente no canto da imagem indesejada pensada na etapa anterior.

4 – Fazer o Swish com as duas imagens

A intenção dessa fase é trocar a imagem negativa pela imagem indesejada gradualmente, até que permaneça na mente apenas a sensação positiva.

À medida que a imagem que representa sentimentos ruins é reduzida, aquela que desperta bons sentimentos é aumentada, até que negativa saia completamente da mente.

No momento da total substituição de uma imagem pela outra, é preciso imaginar um som para marcar esse momento, como um assobio ou um estalo de dedos.

5 – Limpar a mente

Essa fase é importante para que o indivíduo consiga relaxar após passar por todo o processo, deixando a mente limpa e pronta para continuar a rotina normal.

Para fazer com que essa etapa seja concluída com êxito, pode-se pensar em algo como uma paisagem que não tenha nenhuma relação com o momento, em uma cor favorita, em uma música ou o que a pessoa achar mais adequado para deixar os pensamentos mais tranquilos.

Pressupostos da PNL

A Programação Neuro Linguística possui um conjunto de pressuposições que orientam as suas práticas e que ajudam o coach a interpretar melhor o seu coachee.

Além disso, os pressupostos da PNL podem ser usados como parte de ferramentas com o intuito de aumentar o autoconhecimento do coachee ao longo de um processo de coaching.

Os principais pressupostos da PNL que podem ser aplicados no coaching são:

O mapa não é o território

Essa pressuposição significa que cada indivíduo cria a sua própria realidade, de acordo com as suas experiências, crenças, memórias e seu modo de ver a vida.

Essa visão sobre as coisas (mapa) nem sempre é o que acontece na realidade (território). Por isso, é muito importante trabalhar essa premissa com o coachee para que ele elimine crenças limitantes e possa entender o que está impedindo que ele viva a sua realidade como ela é de verdade.

Por exemplo: em uma sessão de coaching de relacionamento, uma mulher afirma que, por conta de ter mais de 50 anos e morar com os filhos, nenhum homem verá vantagens em se relacionar com ela.

Alguma experiência ruim, como uma rejeição, pode ter feito com que essa senhora criasse esse mapa que não condiz com o território. A realidade é que estar com 50 anos e ter os filhos morando em casa não representa impedimento para um relacionamento estável.

Leia também:  O processo de coaching está terminando, e agora? Vou “perder” meu coachee!?

Quando a tarefa do coach for demonstrar que o mapa do seu cliente não representa o seu território, é válido apresentar exemplos de realidades de outras pessoas. Isso faz com que o coachee perceba mais facilmente que está interpretando a sua própria vida de forma equivocada ou limitada.

As pessoas são mais do que o seu comportamento

É bastante comum acontecer a seguinte situação em um processo de coaching: o coachee faz um autojulgamento por conta de um comportamento ocasional, que provavelmente não se repetiria em um outro contexto.

Esse pressuposto da PNL diz que uma pessoa não é necessariamente ruim por conta de um comportamento avaliado isoladamente. Os indivíduos podem se comportar mal em momentos nos quais não possuem recursos internos ou externos para agir de forma adequada.

Outro fator considerável é o ambiente e a cultura em que o coachee está inserido. Isso provavelmente estimula com que ele atue em algumas situações de forma contrária a sua própria personalidade.

É importante que o cliente entenda que um comportamento isolado não o faz uma pessoa pior e que ele não deve julgar a si mesmo por conta de uma atitude equivocada. Dessa forma será mais fácil fazer com que ele perceba que pode ter o comportamento que deseja, que o levará a atingir o seu estado desejado.

As pessoas são dotadas de habilidades

A Programação Neuro Linguística considera que cada indivíduo possui recursos emocionais e cognitivos suficientes para empreenderem mudanças nas suas vidas.

Esse pressuposto da PNL serve para nos dizer que as pessoas não são incapazes, elas apenas podem apresentar um estado de incapacidade momentâneo. Esse estado pode ser facilmente revertido usando as próprias habilidades de cada um.

Uma das maneiras de trabalhar essa premissa da PNL em um processo de coaching é pedindo que o coachee escolha um desafio que prove para ele mesmo a sua habilidade em ser feliz e cumprir suas metas.

Por exemplo: se o cliente acredita não ter capacidade de ficar um tempo sozinho e cuidar de si mesmo, talvez planejar uma pequena viagem sozinho seja uma boa escolha.

Muitas pessoas duvidam da sua própria habilidade por conta das crenças limitantes produzidas por pessoas da família ou muito próximas. Provar para si mesmas que conseguem realizar o que precisam, é uma ótima maneira de eliminar pensamentos nocivos e tomar posse da sua capacidade.

Não existe fracassso, somente resultados

Toda vez que algo não dá certo, estamos, na verdade, mais perto do sucesso e não em um momento de fracasso.

Sempre há um aprendizado em uma má fase ou um lado positivo em uma situação mais difícil.

Por exemplo, se alguém não consegue passar em uma entrevista de emprego, aquela experiência serviu como uma fonte de lições para que consiga ser contratado em oportunidades melhores.

Quando um casal termina um relacionamento, os dois lados aprenderam muitas coisas sobre o que não fazer um uma relação futura e tem a chance de serem melhores parceiros e mais felizes com o futuro amor.

É importante lembrar, também, de que a cada “não” que a vida nos mostra, estamos mais perto de conquistar o tão esperado “sim”.

É impossível não se comunicar

Existe o famoso ditado: “Para bom entendedor, meia palavra basta”. Mas essa frase popular poderia ser substituída por: “Para bom entendedor, uma simples expressão basta”.

Não nos comunicamos apenas enquanto falamos e sim o tempo todo, com qualquer expressão facial ou corporal que podemos fazer. As palavras representam apenas parte da nossa comunicação.

Mesmo que alguém permaneça em silêncio, com um simples olhar ou um sorriso, por exemplo, essa pessoa pode transmitir muitos sentimentos, intenções e recados. Muitas vezes, estabelecemos esse tipo de comunicação de forma inconsciente.

Ou seja, não é possível estar em sociedade sem emitir algum tipo de comunicação. A todo momento estamos interagindo e transmitindo nosso estado de humor e sentimentos para outras pessoas, até mesmo nos mais simples gestos ou através do nosso semblante.

A PNL é um conjunto de técnicas poderosas, assim como o coaching, e, quando trabalhadas juntas, as chances de satisfação dos coachees é ainda maior. Você já aplicou PNL nos seus processos de coaching? Conte nos comentários o que mais você gostaria de saber sobre o assunto.

Assine, não perca nenhum conteúdo:

PNL: o que é e como pode ser aplicada ao coaching
4.7 - 137 votos
SistemizeCoach
Siga-me

SistemizeCoach

Uma única plataforma para gerenciar todo o processo de coaching. Com a SistemizeCoach, você não precisará de Excel, Word e Outlook para gerenciar as suas sessões.

Crie ferramentas visuais, armazene o histórico de suas sessões e tangibilize o processo com relatórios completos para o seu coachee.

CONHEÇA A PLATAFORMA
SistemizeCoach
Siga-me